Visitantes online

contador de visitas
, ,

Yasmin é surda e formou-se em Design Gráfico

sábado, maio 23, 2015



Yasmin no dia da formatura

Meu nome é Marcia e esta é minha filha Yasmin, surda desde o nascimento, pois tive rubéola no quarto mês de gestação.

Não me lembro de quantas vezes ela foi recusada em escolas, mas nunca desistiu, apesar de todos os "nãos" e de todo o preconceito que sofreu. Quando ela começou a estudar, ainda não existia leis sobre inclusão social. Era um termo que pouquíssimas pessoas conheciam.

Yasmin é oralizada (ela fala), usa aparelho. No caso dela, o aparelho é só para ouvir alguns barulhos, já que é surda profunda. O aparelho ajuda, mas não resolve a questão da surdez. Yasmin também fala com dificuldade, faltam algumas sílabas que ela não conseguiu adquirir. Fez fonoterapia durante vinte anos e não adquiriu essas sílabas por não ouvir... Muita gente acha que a fonoterapia é algo fácil e que surdos vão falar normalmente. Não é assim. Só quem passa por isso sabe o quanto é cansativo, desanimador e o quanto devemos persistir.

Eu como mãe de uma surda, sou a favor do surdo aprender a Língua Portuguesa Escrita. Esta é a MINHA opinião. 
Creio que só assim conseguirão passar em vestibulares, concursos públicos e etc. Sei o quanto minha filha sofreu com redações e produções de textos. 
Muitas faculdades não perdoam. Não entendem que a primeira Língua do surdo é a Libras.

A Yasmin é uma raríssima exceção, infelizmente. Ela conseguiu estudar em escola regular, fez faculdade e em 2014 se formou em Design Gráfico pela Faculdade de Tecnologia Senac de Goiás.

Fez vestibular normal e quando foi se matricular na faculdade ofereceram o Intérprete sem que eu solicitasse. Quase desmaiei de tanta alegria. Durante o curso fui chamada várias vezes pelo pedagogo para ajudar em algumas dificuldades que os professores tinham.

Ela foi a 1a surda a se formar em Design Gráfico. Não há dados oficiais, uma vez que nossos governantes não se preocupam em atualizar um banco de estatísticas com dados como esse. Isso foi uma pesquisa feita por mim, por ela, por professores, amigos e todos que de alguma forma, direta ou indiretamente participaram da vida da minha Yasmin.

Nós abrimos as portas e hoje há três surdos estudando na Faculdade de Tecnologia Senac de Goiás.

Ela tem carteira de habilitação, dirige, tem seu próprio carro e trabalha no próprio Senac. Participou de uma seleção pelo Senac e trabalha lá há dois anos como auxiliar administrativo. Ainda não conseguiu uma vaga como Design Gráfico, pois as empresas quando contratam PCDs para atender à cota, não gostam de contratar surdos porque acham difícil lidar com eles por não ouvirem. Preferem contratar PCDs com deficiência leve para fazer faxina, trabalhar na produção ou coisas desse tipo. Graças a Deus ela conseguiu passar na seleção porque escreve muito bem o português.

Sobre a carteira de habilitação, tive que ir com ela a todas as aulas e cursinhos. Uma verdadeira novela, pois o Detran ainda não tem intérprete. Por isso acho de extrema importância a presença de intérpretes nos órgãos públicos. Isso facilitaria e daria muitas oportunidades a outros surdos.

Ela é uma raríssima exceção. Todos nós sabemos disso. Não é fácil chegar até aqui sendo surda bilateral profunda.
Ela tem uma vida "quase" normal. "Quase" porque ainda nos deparamos com as barreiras do preconceito e da ignorância.

Não foi fácil chegarmos até aqui. Foi uma luta difícil e ainda continua sendo. E esta luta continua sendo diária. Mas valeu e continua valendo muito à pena. Yasmin viaja para todos os lugares sozinha. É muito esforçada.

Yasmin agora quer fazer pós-graduação e já estou me armando, me preparando para uma nova batalha. Onde moro, Goiânia, as instituições de ensino particulares tem negado a fornecer o Intérprete a ela. Então terei que entrar na justiça e ela VAI SIM cursar a pós- graduação que tanto quer. Estou com ela nesta luta. O que uma mãe não faz por uma filha não é? Ainda bem que eu tenho condições e posso acompanhar minha filha nessas etapas. Mas várias vezes me pego pensando nas mães que não podem acompanhar seus filhos surdos como eu posso acompanhar a minha. Isso me entristece, pois sei exatamente o sofrimento dessas mães.

Por outro lado, vejo que os surdos estão mudando suas atitudes e a visão de seus familiares.

É preciso que mais gente com poder de voz, entenda essa necessidade de expor o surdo e apresentá-los às pessoas, à sociedade. Eles vivem isolados em suas comunidades. Temos que mudar isso. O mundo é muito grande e está cheio de novas possibilidades, novas descobertas...

Resolvi dar este depoimento porque acredito que de alguma maneira possa ajudar outras pessoas.

Leia Também

5 comentários

  1. Parabéns as duas lindas...
    Filha de peixe, peixinho é!!!
    Nada acontece por acaso.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Márcia por ser tão gerreira uma mãe de Ouro...exemplo como mulher mãe..Deus continuará abençoando vcs duas ..saudades 💋💋💋👑

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante!
Obrigada

Os mais lidos

Meu canal no Youtube

Loading...